Inteligência Emocional é a habilidade de estar ciente, controlar e expressar suas emoções. Os mais recentes estudos dizem que o QE (quociente emocional) de uma pessoa é mais importante do que o seu QI (quociente de inteligência) para se ter sucesso no trabalho, na vida e para ter uma saúde melhor em geral.

Autoconsciência é o primeiro de quatro passos da Inteligência Emocional. É com ela que você identifica suas emoções e fica ciente delas, seus gatilhos e seus impactos.

Abaixo estão 10 passos para você melhorar a sua autoconsciência:

  1. Saia da zona de conforto – afinal de contas, a mágica acontece fora da zona de conforto. Um ponto aqui é procurar não evitar as emoções desconfortáveis, e sim enfrenta-las. As grandes mentes da nossa época possuem o hábito de fazer algo desagradável todos os dias. Isso traz um crescimento e evolução muito significativos. Ficar na zona de conforto não faz você crescer e evoluir.
  2. Identifique seus gatilhos – um gatilho é uma pessoa, situação ou condição que causa uma emoção e leva você a certas ações. Identificar o que causa emoções em você leva a uma inteligência emocional melhorada. Sabendo o que causa as emoções torna muito mais fácil ter controle sobre elas. Por isso, fique sempre atento ao que está ocasionando o aparecimento de emoções em você, saiba o que inicia os processos que levam para as ações, principalmente aquelas não desejáveis.
  3. Não julgue seus sentimentos – um sentimento é um sentimento. Não devemos ficar julgando eles como bons ou ruins, e sim entender o que sua mente está tentando dizer para você. Faça uma autoanálise e procure identificar o que aquele sentimento está dizendo, e o que ele está buscando de positivo para você.
  4. Não tome decisões de mau humor – todo mundo tem situações na vida em que está meio deprimido ou se sentindo pra baixo. A inteligência emocional através da autoconsciência ensina que você deve tomar conhecimento da situação e aceita-la como ela é. Você deve sentir que é tudo bem poder fazer pouco para mudar as condições atuais e apenas deixá-la passar. O que é mais importante aqui é que você deve adiar qualquer possível mudança de vida ou decisões até que você esteja fora dessa zona.
  5. Não tome decisões de bom humor – a mesma coisa vale para quando você está do lado oposto desse equilíbrio. Quando você está muito, mas muito feliz, é muito fácil tomar decisões das quais você pode se arrepender. Isso é muito comum com gastos e compras compulsivas, que são disparadas quando estamos em um estado alto de felicidade. Tome cuidado.
  6. Utilize a vista de olhos de pássaros – isso acontece com aquelas pessoas que aparentemente estão acima das coisas. Imagine poder se olhar de fora, como um pássaro voando e olhando toda a imagem abaixo de si. Imagine-se olhando de fora, com imparcialidade, para ver o que você não consegue enxergar quando está no automático. Reserve um tempo para essa autoanálise.
  7. Procure suas emoções na mídia – ficar pensando que você é único, que ninguém te entende, ou que algo só acontece com você não está correto. Procure explorar a experiência de outras pessoas com as mesmas emoções. Hoje a internet é uma fonte inesgotável de informações sobre isso. Com certeza se você procurar irá achar alguém com a mesma emoção, o mesmo sentimento que você. Existem grupos de apoio para quase tudo que se possa imaginar. Não perca tempo se martirizando, procure alguém que possa te orientar e te guiar.
  8. Revisitar seus valores e agir em conformidade – se você se sente sobrecarregado, dê uma parada e reveja seus valores. Sua carreira está indo no caminho certo? Você precisa fazer coisas que não gosta devido seu trabalho? Você é tratado pelos outros da maneira como gostaria? Você tem tempo suficiente para sua família? Seu caminho atual está te levando para onde você gostaria de estar em dois anos? Essas são algumas perguntas que você pode usar para avaliar sua vida em relação aos seus valores e crenças. Lembre-se que é muito importante viver uma vida pautada pelos seus valores mais importantes. Isso traz significado e propósito, e nos mantém dentro da nossa missão de vida.
  9. Verifique-se (especialmente sob estresse) – tenha o hábito de se verificar, e checar se está tudo OK com você. Como está o seu rosto? Como você está se vestindo? Como sua mesa de trabalho se parece? Está arrumada? Como é a sua postura? Todos as mudanças nesses quesitos podem ser sinais de atenção para você. Pare e procure corrigir o rumo.
  10. Preencha o ponto cego com feedback – peça feedback para aqueles que estão a sua volta, seu parceiro, sua família, seus amigos. Eles possuem uma visão de você que é bem diferente daquela que você mesmo possui, e pode te trazer muitas informações. Mas ao fazer isso, fique atento na comunicação. Se você está pedindo feedback, esteja pronto para ouvir e não para falar, abra seu coração e não fique na defensiva. E seja grato por tudo que você receber.

E a seguir estão quatro sinais de que você possui alta Inteligência Emocional:

  1. Você pensa sobre suas reações – a Inteligência Emocional pode significar a diferença entre uma boa e uma má reação diante das circunstâncias. Pessoas com baixa Inteligência Emocional tem a tendência de apenas reagir, sem realmente pesar os prós e os contras de uma situação.
  2. Você vê as situações como desafios – se você consegue reconhecer emoções negativas em você e ver as situações difíceis como desafios, focando na positividade e perseverança, você tem chances de ter uma alta Inteligência Emocional. A perda do emprego, por exemplo, pode ser vista como um momento para tomar ação e corrigir os rumos, enquanto pessoas com pouca Inteligência Emocional podem ficar ruminando a situação e até entrar em depressão.
  3. Você pode modificar suas emoções – se você for uma pessoa inteligente emocionalmente, poderá ter os conhecimentos necessários para modificar suas emoções. A ansiedade, por exemplo, pode ser algo bom ou ruim, e saber o quanto da ansiedade é positiva pode ajudá-lo nas situações.
  4. Você consegue se colocar na pele das outras pessoas – se você é capaz de estender essas habilidades para além do seu próprio funcionamento pessoal, então isso é outro sinal de que você tem altos níveis de inteligência emocional.

O Coaching é uma ferramenta poderosa na busca pela Inteligência Emocional. Esse processo de autoconhecimento é muito eficaz e pode trazer resultados impressionantes. Existem ferramentas no Coaching que acabam trabalhando praticamente tudo que está expresso nesses 10 itens.

No Coaching nós trabalhamos propósito e missão, identificação de valores, autoconhecimento, feedback, autoanálise, dentre várias outras coisas.

É por isso que eu trabalho hoje como Coach de Inteligência Emocional. Caso você tenha interesse nesse trabalho, agende comigo uma sessão experimental sem compromisso (http://bit.ly/reservadevaga) ou cadastre seu e-mail na minha lista para receber dicas de como levar uma vida melhor ao longo da semana, e não ficar sempre apenas esperando o final de semana chegar (http://dicasve.thiagobrant.com). Essas dicas são voltadas a um bom início de trabalho da sua Inteligência Emocional.

Fontes (em inglês):

http://www.fromgnometogoliath.com/2017/04/07/emotional-intelligence-self-awareness/

http://www.iflscience.com/editors-blog/four-signs-you-have-high-emotional-intelligence/all/